Imprimir

 bianca1

 

 

A Bianca nasceu em Setembro de 2008 com 32 semanas de gestação e com 1660 gramas de peso

 

 

 

 

 

Este é o testemunho da mãe da Bianca:
bianca4"A Bianca nasceu a 20 Setembro de 2008 pelas 19:09 com 1660 gramas, 39 cms e com índice apgar 7 no Hospital de Vila Nova de Gaia. Nasceu de cesariana com 32 semanas e 2 dias de gestação.
Esta foi a minha segunda gravidez, anteriormente tinha tido uma gravidez não evolutiva.
A Bianca foi um bebé muito desejado e a sua gravidez foi vigiada apesar do inicio ter sido atribulado, devido a um descolamento da placenta, o que me obrigou ao repouso durante o 1º trimestre. Depois quando tudo parecia estar bem, com 30 semanas e 2 dias tive contracções que me levaram a urgência do hospital, tendo ficado internada para vigilância pois a bebé demonstrava sofrimento.
No dia 20 de Setembro detectaram que a bebé tinha um cordão umbilical muito pequeno o que fazia com que ela não se pudesse mexer muito e quando se mexia entrava em sofrimento.
Foi ai que resolveram fazer a cesariana. Ela nasceu num sábado e eu no domingo fui vê-la a Neonatologia, lá estava ela muito calma, muito bonita e perfeita, não passei lá muito tempo pois não conseguia devido ao calor do serviço.
No entanto a partir dai os nossos dias (meus e do pai) eram passados ao lado da nossa guerreira. Passávamos horas e horas sentados a olha-la. Por vezes ela manifestava-se com bianca3sorrisos e gemidos. Passava o seu dia dentro da sua nova casinha ou no kanguru com a mãe ou com o pai. Ao 3º dia de vida começou a ir bebendo o meu leitinho, no entanto mais ou menos por essa altura foi-lhe detectado icterícia o que obrigou a ela permanecer todo o dia dentro da sua casinha a apanhar as luzes, mas esta situação demorou poucos dias.
Quando a Bianca tinha cerca de 8 dias de vida tudo parecia estar a correr bem, no entanto nós alertamos as enfermeiras, pois achávamos a Bianca muito parada. As enfermeiras disseram que também já tinham detectado isso e que o médico tinha sugerido fazer exames.
Exames esses onde detectaram uma sépsis, e com 10 dias de vida foi-lhe diagnosticada uma endoftalmite no olho esquerdo. E foi a partir desse dia que o nosso mundo desabou. A Bianca deixava agora de ser saudável e nós sempre que olhávamos para o nosso tesouro víamos no seu indefeso olhinho uma névoa.
A oftalmologista alertou-nos logo para o possível desfecho, e de facto as coisas não correram bem.
A Bianca teve mesmo de retirar o globo ocular, pois a infecção por pseudomonas foi de tal ordem que lhe afectou todo o globo ocular. Esta operação foi feita de urgência, pois a infecção podia-lhe afectar o cérebro e a outra vista.
No dia 15 Outubro foi feita a evisceração (remoção) do globo ocular e a colocação de uma próteses de silicone.
Lembro-me perfeitamente deste dia de tristeza, ainda hoje as lágrimas me correm pelo rosto, bianca7porque quando a Bianca regressou ao serviço da Neo tinha o olhinho tapado, e era um anjinho a sofrer.
Eu estava entalada, sabia que não deveria chorar ali, mas não aguentava mais. Ela tinha chegado á Neo por volta da hora de almoço, no serviço só estávamos nós, as enfermeiras e uma medica, não havia ali mais pais nenhuns.
Lembro-me perfeitamente que as enfermeiras estavam reunidas e uma medica estava a observar um bebé. De repente olho a minha volta e tinha a equipa de enfermagem e a médica a chorar comigo. Este foi o primeiro caso no hospital, nunca antes tinha acontecido e por todos os médicos que passo me dizem o mesmo, caso raro se não único.
Apesar da operação ter corrido muito bem, o pós-operatório não foi fácil, pensei que ia perder a minha guerreira, ela não respondia a medicação, fez alergia a morfina e teve que levar transfusão de sangue. Vi mais uma vez tudo tão escuro, mas mais uma vez pude contar com a grande equipa do serviço de neonatologia, porque depois de mais um dia passado a olhar o meu tesouro e a sofrer, chegou a hora de regressar a casa e confesso que tinha receio de não poder mais voltar a passar as minhas horas a olha-la, pois ela estava mesmo mal.
Já em casa e com o coração apertadinho, recebo um telefonema do hospital. Naquele momento fiquei sem forças, pensei que ia ouvir o que tanto medo tinha, mas felizmente a enfermeira bianca6ligou-me a dizer que a minha guerreira estava muito melhor, para eu descansar. Ai que alivio.
No dia seguinte lá fui eu e lá estava a minha guerreirinha mais espevitadinha.
Na semana seguinte á operação a Bianca retirou o penso do olho, confesso que tinha muito receio do que iria ver, mas felizmente tive coragem e vi a minha filha com uma prótese de silicone que lhe preenchia o olho mas não tinha íris, pois esta seria uma outra prótese que iria colocar quando tivesse cicatrizada da operação.
No dia em que tirou o penso a Bianca passou da Unidade Cuidados Intensivos para os Cuidados Intermédios e lá permaneceu até terminar o antibiótico e foi nessa altura quando a medicação acabou que viemos conhecer uma nova casa.
Hoje Bianca tem 8 meses esta grande e bonita mas continua a ser uma grande lutadora, pois entretanto já teve de fazer nova cirurgia ao olhinho, porque a prótese de silicone que colocou caiu e hoje felizmente já tem prótese com íris o que é muito bom não só para o crescimento e desenvolvimento do olho, como também esteticamente. Pois infelizmente a sociedade não esta habituada a ver e calar e quando uma pessoa é diferente surgem logo curiosidades que a nós pais nos dói imenso.
A Bianca já ultrapassou muitos obstáculos, tem muitos mais para ultrapassar mas todos juntos vamos conseguir.

Eu quero agradecer ao Serviço de Neonatologia do Hospital de Vila Nova de Gaia, pelo apoio dado. E peço que se houver alguém cujos filhos usem próteses ocular entrem em contacto comigo para partilharmos informação e experiências através do e-mail": Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
.

bianca8 bianca9

A Bianca com protese sem iris (á esquerda) e com protese com iris (á direita)

 

bianca10

 

CONTINUAÇÃO....

Quando decidi a partilhar a minha história, no Ser Prematuro, nunca imaginei que encontra-se tantos casos idênticos.

Hoje a Bianca já tem 2 aninhos, mas no Inverno passado tivemos uma luta muito grande. Praticamente tudo começou quando a Bia foi para o infantário em Setembro. O 1º obstáculo foi que a prótese se deslocava com imensa facilidade. É óbvio que isto não foi fácil de resolver, até porque infelizmente nem todas as pessoas têm a sensibilidade para lidar com casos como este. Mas com muita persistência lá consegui arranjar uma óptica que me ajudou e ajuda imenso e a Bianca ficou com uma prótese que não se desloca ao mínimo toque.

Mas quando tudo parecia correr bem eis que a Bianca começa com muitas secreções no olhinho. A educadora alertou-nos e nós lá fomos para o hospital. Aparentemente não parecia nada de especial, veio para casa com medicação e muita vigilância. No dia seguinte estava muito pior, demos entrada no serviço oftalmologia com celulite orbital.

Voltamos ao desespero, vi tudo muito negro, havia o risco da infecção se instalar no cérebro, tivemos que fazer tac’s para despiste. A Bianca tinha temperaturas altas, o olho nem o abria de tão inchado, a prótese externa teve que ser logo retirada e depois fez uma medicação muito forte, para evitar o pior. Foram momentos complicados, mas após uma semana de tratamento lá tivemos alta e depois voltou a colocar a prótese externa.

No entanto numa das consultas de rotina a Dr.ª detectou que a prótese interna estava deslocada e já havia alguns pontos saídos. Tudo isto devido a infecção que tinha tido, pois o olho inchou de tal forma que a prótese obviamente não aguentou.

Dia 5 de Maio 2010 vai ao bloco só para voltar a suturar a prótese. Nesta fase voltamos a ter que andar sem prótese externa. Quando tivemos luz verde para a colocar a médica descobre que a intervenção anterior não lhe tinha valido de nada, pois estava tudo igual, os pontos tinham aberto novamente.

Quando nesta consulta olhei para a Dr.ª vi logo que algo estava correr mal. A Dr.ª explicou-me tudo e o que estava acontecer e que a Bianca estava a rejeitar a prótese. Não nos restavam muitas alternativas tinha de ir novamente ao bloco e desta vez iria fazer enxerto.

 

dia da operaao


Dia 09 de Junho de 2010 lá estávamos nós à porta do bloco operatório, desta vez as coisas já não eram tão simples, até porque a Bianca ainda tinha bem presente a intervenção anterior.

pos operatorioNo final da cirurgia tudo tinha corrido bem, mas tínhamos que aguardar para ver os resultados, esperar que não rejeita-se o enxerto.

Mas como a nós tudo nos aparece não é que nesta precisa altura, a pequenita apanhou-me a varicela, logo a probabilidade de rejeitar o enxerto ainda era maior. Foram dias complicados, porque estávamos sempre na expectativa, tínhamos consultas quase todas as semanas e parecia tudo estar a correr bem, no entanto a Bianca tinha que andar 2 meses sem prótese externa para a cicatrização do enxerto.

Em Agosto chegou o tão esperado dia, o dia da colocação da prótese externa. Este dia mudou as nossas vidas sem dúvidas algumas, pois em 2 anos de vida nunca teve uma prótese tão perfeita.

É óbvio que para nós pais não esta a 100% mas diria que superou as expectativas de todos, médicos e especialistas na prótese.

E após a nossa luta lá veio o dia de mais uma consulta de oftalmologia. E confesso que por vezes até tenho medo destas consultas. Mas felizmente a médica diz que a Bianca fica assim até Fevereiro 2011, depois ai vai colocar uma prótese nova e já terá de ser um pouco maior, para o dia da operaaocrescimento do olho nunca ficar desproporcional.

Foi um alívio muito grande, aliás acho que valeu todo o sofrimento, pois tem olho muito mais perfeito, não tem secreções. Sinceramente o enxerto foi a melhor opção, pelo menos até a data.

Entretanto foi-lhe receitado uns óculos que servem apenas par proteger, o olho bom de possíveis acidentes e evitar que a Bia coloque a mão no olho da prótese evitando assim infecções.

Tenho que agradecer a todos os que nos têm acompanhado nesta luta, quer a equipa médica do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia, a óptica que nos dá assistência, ao C.S.B. Amorim que é o infantário que a Bianca frequenta tendo em conta que quer educadora e as auxiliares nos tem apoiado em alturas menos boas das nossas vida.

Tenho a certeza que quando a Bianca for maior, virá com todo o prazer retribuir a todos o carinho que lhe é dispensado.

E não posso deixar de agradecer a todos os que têm comentado e todos os têm partilhado as histórias como a da Bia.

Neste site encontrei a Dª Rosa, com um caso semelhante, a qual lhe deixo um beijinho e muita força.

.c. 24 meses 640x480

Bianca com 24 meses
 

Fotografias cedidas pelos pais da Bianca