tiago_1

 

 

O Tiago nasceu em Agosto de 2007 com 29 Semanas de gestação e com 1281 gramas de peso

 

 

 

 tiago_4

 

 

 

Após um periodo de internamento de cerca de 5 semanas o Tiago foi para casa

 

 

 

 

tiago_3.

Este é o testemunho da mãe do Tiago:

tiago_2"Quando fiz o teste de gravidez e deu positivo nem queria acreditar, estava grávida pela terceira vez!!! Marquei logo uma consulta na minha Ginecologista e ela confirmou-me que estava gravida de 6 semanas.Ao ver o coração do bebé a bater, as duvidas e inseguranças que tinha deixaram de existir...
Mas, existia um outro problema, eu tinha tendência para partos prematuros; a Mariana (34 semanas) e a Bruna (35 semanas).
Desta vez achei que seria diferente, comecei desde cedo a tomar medicação de prevenção. Estava a ter uma gravidez fantástica sem  os típicos sintomas da gravidez, a não ser o meu sistema nervoso que andava muito alterado.
Ás 12 semanas fui a uma consulta e soube que era um rapaz, fiquei felicíssima, finalmente um rapaz, finalmente ia nascer o meu Tiago.
A médica alertou-me que o menino estava muito descido, para começar a fazer cuidado com certos esforços,  e aumentou-me a medicação, mas estava tudo bem e sentia-me fantástica.Ás 24 semanas comecei a sentir dores, achei melhor ir ao Hospital, e o diagnóstico foi terrível; o Tiago queria nascer, já estava com 3 cm de dilatação. Quatro dias depois tive alta, mas tinha que fazer repouso absoluto em casa.
Ás 27 semanas voltei ao Hospital porque as dores tinham voltado e novamente fiquei internada mas aí os médicos disseram-me que agora só iria embora quando ele nascesse.Ás 29 semanas, além da dilatação, comecei a ter contracções e a situação, além dos médicos tudo fazerem em contrário, complicou-se. Não havia mais nada a fazer, ele queria  nascer. Houve uma parteira  que me disse: "Mãe quando eles decidem nascer não há medicação que faça o contrário, eles é que mandam.",e é mesmo verdade.
Ás 00h40m do dia 18 de Agosto nasceu o meu grande herói. O Tiago nasceu e chorou logo, fixei aqueles  olhinhos pequeninos a olhar para mim. Foram uns 20s o tempo que olhei para o meu filho, ele foi logo com o Dr. para os Cuidados Intensivos do serviço de Neonatologia. A partir dessa hora as nossas vidas nunca mais foram as mesmas...
Tinha medo do que iria encontrar porque nunca tinha visto um bebé tão pequenino. Quando vi o meu menino  ali cheio de fios, o tubo  do oxigénio, ligado a monitores fiquei aterrorizada. Quis saber tudo, mas as respostas eram vagas porque é tudo imprevisível,como me diziam, e com razão, "Um dia de cada vez", a verdade é mesmo essa, porque cada minuto é vital para eles.
Custava-me imenso ver os enfermeiros a picarem o meu menino, ele fazia análises regularmente; têm que ter uma força fantástica, picada em cima de picada. O meu herói era alimentado através da veia por parentérica, e começou a tomar 1cc de leite através de uma sonda, por vezes não tolerava o leitinho e toca a fazer uma pausa; foram horas de desespero.
O Tiago teve uma infecção generalizada e foi muito complicado  de  a  eliminar. Devido  a  tantas análises ficou anémico e teve que levar duas transfusões de sangue, o que para mim foi muito difícil de entender.Tão pequenino e já a sofrer tanto, queria desesperadamente que tudo isso passa-se rapidamente. O Tiago teve de ter oxigénio, mas passado 24 h após nascer foi retirado, mas como a infecção era complicada e generalizada também atacou os pulmões, e como nada no corpo do Tiago estava maduro teve muitas descidas cardíacas e pulmonares e decidiram colocar-lhe novamente o oxigénio. Voltar a vê-lo com a mascara foi terrível, mas foi o melhor porque os monitores quando apitavam, nós as mães, ficávamos aterrorizadas.
Os enfermeiros diziam "Olhem para os bebés e deixem as máquinas connosco", mas era inevitável, qualquer bip já nos fazia saltar da cadeira.
Cada dia era uma vitória, era acordar de manhã e pensar com estará ele hoje, era tremer até chegar ao pé dele. À noite deixá-lo e vir embora era terrível, passei dias, semanas a chorar.
Cheguei a pensar que o ia perder, mas ele era forte e contrariava tudo; é um lutador. Passado 4 semanas  deixou a incubadora e vesti-lo a primeira vez foi extraordinário, tudo pequenino...
O Tiago deixou a sonda e aprendeu a mamar no biberão muito rapidamente. A infecção já estava controlada, e no dia que na balança vi 2015gr fiz uma "festa". Nesse mesmo dia tivemos alta. Claro que foi um dos dias mais felizes da minha vida, ia para casa e tinha os três finalmente juntos.
Agora, tudo isto não é fácil, e foi preciso muito apoio. Apoio esse que desde auxiliares, enfermeiros(as) e médicos (as) nunca deixaram de ter, uma palavra, um gesto de carinho e de apoio. São uns profissionais  fantásticos, todo o tempo que estivemos na Neonatologia eles foram a minha família, os meus "amigos". As outras mães também foram um pilar para mim, chorámos juntas, rimos juntas, rezamos, gritamos, enfim apoiávamos-nos ao máximo. É difícil exprimir por palavras o que sinto por todos (uns mais do que outros, claro). Irei estar eternamente agradecida por tudo o que fizeram pelo meu pequeno herói. A vida dele  devo-a a vocês, cada gesto de carinho que tiveram com ele está guardado no meu coração.
A todos aqueles que trataram de mim e do meu filho, o nosso muito obrigado.
Ás mães e pais que estão a passar ou irão passar por uma situação semelhante, muita coragem, força, muita fé e acreditem nos profissionais. Eles estão lá para salvar a vida dos vossos filhos.Ás mães que  estiveram comigo Obrigado por tudo. Um beijo especial para a mãe do Eduardo, mãe do Diogo, para a mãe do Marco e mãe da Patrícia.
Um grande beijo para o meu Herói Tiago por ter lutado, e mesmo muito pequenino me ter dado tanta força.

                                                                                        Andreia"
.

 tiago_5

 .
Fotografias cedidas pelos pais do Tiago